segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Porque será??


Estive a ler o livro “Clara de noite”, que em traços gerais conta as diversas, e curtas aventuras de uma prostituta, que, às vezes até se diverte no e com o trabalho.
Uma das histórias chamou-me particularmente a atenção. Porquê? Porque há homens que realmente se têm em muito boa conta, se acham o máximo, fodem como ninguém, todas as mulheres os desejam, conseguem manter a pila em pé por horas e horas (quem vos dera tal fosse verdade… e já agora quem nos dera a nós que isso fosse verdade), e é claro dão SEMPRE um orgasmo fantástico à parceira (ok ok, eu sei, há uma data de mulheres que têm queda para actrizes e passam a vida a fingir… mas é só para que vocês saiam de cima oh incompetentes. Sim, são incompetentes se não sabem distinguir um orgasmo de um pico de prazer, ou simplesmente de uma actuação artística) e aquele até ia mais longe, afirmando/perguntando “que as putas como tu só me cobram a primeira vez e a seguir me pagam elas para sentir-me dentro dos seus corpos trémulos e húmidos?” enfim, o homem eram bom a dar à língua, mas não no local certo, conforme podem verificar se ampliarem as imagens.



E tanto falatório levou-me a pensar no pedido de uma amiga “pergunta aos gajos – eu tenho lata para o fazer, não é? – que raio de fetiche é esse de se quererem vir na nossa boca, ou de espalharem a nhãnha na nossa cara”.
Meus caros, isto também é só gabarolice vossa (como o cliente da Clara), ou pedem mesmo isto às vossas parceiras? E se pedem, podem explicar-me porquê??
Qual é a diferença entre virem-se na boca ou noutro lugar qualquer?
É poder?
Humilhação não declarada, no fundo é a forma de subjugarem a parceira?
E que cena é essa do engole ou não engole? Se não engolir passa-se o quê na vossa cabeça? E se engolir?


Alguém por aí com coragem para responder, ou vão todos dizer “eu nunca pedi tal coisa”? Eu sei que não é verdade, pois essa faz parte da lista das fantasias masculinas que recebi e que postei no Inferno, e não foi só um homem a mandar-ma.
Vá coragem. Digam-me tudo, mostrem lá o que vai nessas almas negras.

28 comentários:

Carlos Rocha disse...

Já cheguei a pedir isso a uma ex. Ela não se mostrou com predisposição. Move on. Concerteza que eu também não lhe satisfaria todas as suas fantasias, nem ela todas as minhas. Nunca saberemos. Agora, vamos lá racionalizar uma fantasia, explicar o quê e o porquê. Gosta-se e pronto. Como gostamos de muita coisa e não nos pomos a procurar justificativas psicanalíticas (o quê???). :D

Venerável Victor disse...

Eu acredito que a linha desse fetiche é tênue entre o ato de "humilhar", "marcar território" (muito frequente no instinto masculino) e principalmente se sentir tão maravilhoso que está oferecendo um nectar irresistível para a parceira. Dependendo do homem (ou da fase psicológica dele), um desses fatores é o mais proeminente. É um fetiche realmente muito mais recorrente do que os covardes tendem a admitir... Ainda bem que existe o Leituras Porn para se falar disso também.

Santos Costa disse...

Caríssimos
Quando aqui entro, tenho de mostrar o BI à entrada e de jurar que pretendo continuar, para mostrar ao porteiro Blogspot que sou maior e vacinado.
Depois disto, vamnos ao que interessa.
Gosto muito do traço do desenhador do Torpedo e da série que depressa morreu: talvez por ter mais violência do que sexo (embora também com algum). Era uma série que o argumentista e o desenhador (pelo menos, este último, devia continuar), embora esta "Clara de Noite" e o western porn que se publicou, tivessem o seu lado cómico-erótico.
AS BD erótica - e, cruzes canhoto, a pornográfica - não se vendem às "claras" mesmo de "noite", o que quer dizer que vendem mais do qualquer outra, mas devidamente ensacada. Há, todavia, a tentativa de alguns autores - e muito tenuamente numa vinheta ou duas - darem um ar da sua "graça", mas sempre a medo, não vá o editor saltar na cadeira.
Na internet e na blogosfera (valha-nos esse dom) há mais liberdade e, acreditem, todos os que mais abjuram o cenário do erotismo e da pornografia em público, são aqueles que mais vêem em privado.
Carpe Diem.
(Já tinha escrito o arrazoado, quando o porteiro só me deixou sair com o santo e senha - principalmente a obrigar-me a ler um número de polícia numa porta para testar a minha acuidade visual).

Diabba disse...

Carlos,
não acredito em ti, uma fantasia tem sempre uma razão de ser, mesmo que inconfessável, ou nem que seja do género "eh pah vi num filme porno, aquilo incendiou-me, e gostava de fazer o mesmo com a minha parceira", agora "as fantasias existem porque existem, e se não forem concretizadas, paciência", vais desculpar-me, mas isso não é fantasia nenhuma.
Eu persigo as minhas, seja o resultado o esperado, ou seja um decepção.

Venerável Victor,
mereces uma vénia.
Respondes ao que pergundo, sem enrolação, sem frescuras. Objectivo como eu gosto.
E sim, sou levada a crer que a fantasia se situa entre o "humilhar" e o "marcar território", isto claro para além do macho se sentir o macho mais macho à face da terra.
]:-)

Santos Costa,
vejo que conhece a Clara, e pela conversa quase que acredito que é o cliente retratado. Falou, falou e não respondeu às questões colocadas.
Tem mais de 18 anos (conforme provou ao porteiro do blogue) mas tem o comportamento de uma beata, olha, finge que não vê, e sai o mais rapidamente que pode.
Pode voltar, aqui ninguém o morde.
]:-)

Mário Freitas disse...

Resposta simples: tudo o que é mais "proibido", moralmente mais "impróprio" ou mais "porco" dá mais tusa. Para ambos. Simples, não é?

Luis Sanches disse...

Ok Diabba, visto que queres sinceridade, falo de minha parte e em bom português sem pedir desculpas :)
No meu caso não tem a ver com ser fantasias, é muito simples até e estou admirado de ninguém o ter referido ainda. Existem 3 locais no corpo de uma mulher em que posso inserir o meu pénis. Cada um deles dá-me uma sensação ligeiramente diferente. Não sei o que se passa na boca, não sei se é o contacto da lingua com o meu pénis quando estou no auge, só sei que gosto de o sentir. Isto tudo para te dizer, que não tem a ver com tretas psicanalistas, é mesmo prazer orgânico, tem mesmo a ver com centros nervosos do meu organismo a serem estimulados de uma forma na boca de uma mulher que não são em mais lado nenhum (pelo menos que eu conheça).
Por outro lado, não percebo a onda de se virem na cara de uma mulher (ou homem), a mim isso não me excita. Mas mais uma vez, é uma coisa orgânica, não tiro nenhum estimulo especial daí. Cara, perna, braço, para mim ia tudo dar ao mesmo. Aí talvez tenhas razão e haja qualquer coisa associada a marcar terreno ou assim. Sei lá eu.

Eu acho é que às vezes as coisas têm explicações mais simples do que parecem. Mas também posso estar enganado. Só posso falar por mim.

Diabba disse...

Mario Freitas,
podes ter razão, mas não na totalidade, acredito que aquilo que é proíbido nos tente, gostamos de pecar.
Quanto à parte do "porco" não sei não, nas minhas investigações sobre certos assuntos que possam ser discutidos neste blog, encontrei coisas literalmente porcas, que francamente me fariam murchar qualquer ímpeto libidinoso, e até me fariam fugir a sete pés com a roupa na mão.
]:-D

Luís Sanches,
antes de mais obrigado pela sinceridade.
É claro que concordo contigo, cada lugar dá uma sensação diferente (não é só a vocês), mas a pergunta era mais "porque é que fazem questão de ser vir na boca da parceira/o?" (alguns, claro, nem todos os homens fazem questão, outros nem querem fazê-lo)

pco69 disse...

Vamos lá a ver uma coisa. Primeiro, vamos não generalizar com "Porque é que gostam de...". Porque os homens (e as mulheres) são na generalidade diferentes entre si.

Será que é o homem que gosta de se vir na boca da parceira ou mesmo a parceira que gosta que o homem se venha na sua boca? E com isso obter um prazer adicional de proporcionar prazer ao seu parceiro.

Em relação à cara.. há claramente homens que gostam de se vir na cara das parceiras e creio que a maior razão é mesmo a noção de humilhação que acaba por transmitir. Mas claro.. também há mulheres que também gostam.

E claro que isso também vale para os "jogos aquáticos" e remanescentes fétiches (se alguém não souber o que é, procure na net sob o termo "chuva dourada")

Novamente, não vale a pena generalizar. Creio eu..


Anónimo disse...

Diabba:

Ele há os que gostam de se vir por cima do cú, da cona, nos óculos, na boca, nas mamas, nos pés ou no cabelo e mais não sei quê devido a "n" razões, tantas como a sexualidade humana possibilita.

Comigo, nunca fiz berrar tanto uma parceira do que quando depois limpei a pixota nos cortinados. Fico é em dúvida é se foi devido a gozo libidinoso ou algo mais...

Já agora, havia uma BD erótica acho que dos anos 80 que se passava a volta de uma sobrevivente de um mundo pós apocalíptico/guerra nuclear que tinha um parceiro robot pau para toda a obra que inclusive a satisfazia sexualmente. O Nuno deve saber.

-Priapo-Bladder

Diabba disse...

pco69,
Não generalizei, não está escrito em lugar nenhum que todos os homens pedem tal coisa, mas alguns pedem. E já agora algumas mulheres também fazem esse pedido, só para que saibam.
Prazer adicional de dar prazer ao parceiro – aceito.
Quantos aos “jogos aquáticos… e outros mais sólidos”, confesso que não sou assim tão open mind, e francamente não percebo o prazer que daí se possa retirar. Neste item vou continuar a não ser open mind. Escolha minha.

Bladder,
Pergunta: gostavas mesmo de ser Príapo? Suponho que saberás que nenhuma mulher te pegaria… o tamanho conta, mas nem tanto.
Tudo o que dê prazer é fazível - aceito.
Quanto à cena dos cortinados... sabes que eu sou uma diabba muitooooo velha?? Informo-te
que essa piada é mais velha do que eu. ]:-D
Sim, o Nuno tem a Lorna. ]:-)

pco69 disse...

Em relação à sobrevivente dos anos 80... Em francês é 'La Survivante' de Paul Gillon. Na realidade é um erótico muito xoxo...

Pablo Ramos disse...

O NEGÓCIO É BOM MESMO.

Agora que a opinião está clara, vamos pensar: Da mesma forma que há homens que gostam, também há mulheres que gostam, mais de uma já me pediu pra "levar na cara". Eu tenho traços de dominação em meus fetiches, não chego a ser sádico nem gosto de "escravas", mas posso garantir que (agora sim não vamos mais medir as palavras) quem gosta de sêmen na cara, seja de dar ou de receber, está estabelecendo uma relação de dominação.

É também o que disse o Venerável, uma boa forma de diz ao instinto primal do macho que ele está marcando um território.

Mas nem é um grande fetiche meu fazer na cara da parceira, particularmente, prefiro mandar engolir. É um desperdício espalhar pela atmosfera uma substância tão rica em proteínas, aminoácidos e nutrientes.

Anónimo disse...

Diabba,

Não é a Lorna, era outra, tinha um desenho fotorrealista ou quase, não era cartoonesco. Vou investigar.

Se eu quero ser um Priapo? Muito francamente o sexo deve ser apenas 0,999999999% da minha vida hoje em dia, estou reformado e desinteressado mas continuo a achar piada.

E depois sabem o que acontece às vítimas de priapismo, né?

Presumo que é para isso que existe este local, para brincar e conversar sem levar as coisas demasiado a sério.

-Bladder-Priapo

Anónimo disse...

Já sei...

É o "La Survivante" de Paul Gillon.

Aqui link:

http://lebrunf9.free.fr/bdenfer/al_survivante.html

Não sei se conhecem...

Os desenhos são excelentes e tem um bom clima, desencantado.

-Bladder-Priapo

Diabba disse...

pco69,
eróticos xoxos também são fixes para uma pessoa sorrir, ou até rir, é como os filmes: há os de terror e os de terrir.
Um xoxo pah ti ]:-D

Pablo Ramos,
Claro que há uma relação de domínio/marcação de território, acho que aí todos concordamos.
Isso de “mandar engolir” é de dominador sim. Fizeste-me rir, e pensar: “hummm em tempos de crise está ali uma fonte de alimento, eles que morram todos chupadinhos das carochas, nós podemos sempre ficar bem nutridas com proteína e aminoácidos”.
Ahhhh tb já ouvi dizer que é excelente para máscara facial. Se calhar é.
]:-D

Príapo-reformado-mas-que-continua-interessado-apesar-de-dizer-que-não,
Este local é quase livre, podemos dizer o que nos apetecer, sobre quase tudo, só coloquei duas condições:
1 – Aqui não se fala nem coloca nada sobre incesto (oh pah desculpem-me os que gostam de ver, e ler, e tal, mas faz-me séria confusão. É o meu lado profissional que domina neste item)
2 – Aqui não se fala nem coloca nada sobre pedofilia (ler o parênteses do nº anterior).
Tudo o resto pode ser discutido aqui, concordando/gostando eu, ou não, com o assunto.
Vou ver o link, a ver o que me parece.

Anónimo disse...

Obviamente que pedofilia fica de fora. Incesto ele há grandes taras por aì muito interessantes, fingidas claro que o verdadeiro incesto não me interessa.

Ficou de fora a Zoofilia, vulgo sexo com animais... necrofilia e mais que não me lembro... estes podem-se discutir?

-Bladder-Priapo

Nuno Amado disse...

Pablo Ramos
LOL
Situação Clic 2!
Ela encontra-se numa jangada após um naufrágio e quando encontrados ela está ali para as curvas e os dois homens completamente desidratados e "chupados das carochas"... porquê?
Adivinha!
ahahahahha
:P

Diabba disse...

Bladder,
Podem. Acho super-hiper-mega nojento isso da zoofilia, necrofilia e outras que tu não te lembras. Isso também dirá muito sobre quem goste desses assuntos.
Zoofilia tenho de investigar, mas necrofilia é crime (profanação de cadáver), e os outros proíbidos tb são crime, mas que me passam com mais frequência pelas mãos, daí ter pensado neles logo à partida.
E também não quero proibir tudo, senão daqui a nada estamos a discutir o sexo dos anjos.
]:-)

Anónimo disse...

Diabba:

E o voyeurismo?

Isto é ser observada enquanto se urina, masturba na privacidade, se toma banho, duche, se rapa a intimidade, etc...

Existem casais que brincam muito com isto...

E aquele fetiche de comer a parceira enquanto ela está a dormir?

Quando me referi a taras no meu comentário anterior era exclusivamente no campo da representação, isto é não se trata de mulheres mortas mas sim a fazer de mortas e mesmo aqui o voyeurismo de comum acordo.

Existe um filme porno clássico sobre uma actriz porno que morre de overdose e todos pensam que ela está mamada mas na verdade está morta, apenas o realizador sabe e fazem filmes com ela em diversos actos sexuais, isto tudo numa atmosfera cómica, a actriz até disfarça mal pois pisca os olhos quando leva com jactos de esperma mas... recomendo, é engraçado, por oposição aos pornos mecânizados de hoje em dia. Para mim a melhor pornografia foi a dos anos 70 e 80.

Também exciste a escatologia, mas vamos deixar esta de lado, para isso basta o governo.

-Bladder-Priapo

Diabba disse...

Bladder/Príapo,
para tudo aplico um princípio geral de direito: "tudo o que não é proibído, é permitido".
Se é a fingir, não é necrofilia.
Quanto ao fetiche de "comer a parceira enquanto ela está a dormir"... não acreditem que ela dorme o tempo todo. Vocês esforçam-se mais se não colaborarmos. hihihihihi ]:-)

Escatologia, chuva dourada... acho nojento, mas é só a minha opinião pessoal, se alguém gosta, e encontra um parceiro que goste... força.

Fabiano Caldeira disse...

Eu só posso dizer por mim. Sou gay e já dei esperma pro cara beber e já fizeram o mesmo comigo. Entre nós, rola uma coisa de complementar a afirmação de que o cara é de fato muito gostoso. Mas, sinceramente, analisando friamente a situação, realmente não há muita explicação pra isso.
Sem falar que é muito perigoso ficar com esperma na boca, engolir... pega-se doenças tb.

Abraços. Fabiano Caldeira.

Fabiano Caldeira disse...

Agora, quando ao sexo oral em si, é muito bom. Eu prefiro até mais do que lá embaixo. Comer um boca é mais higiênico e prazroso pra mim.

ABraços. Fabiano Caldeira.

Diabba disse...

Fabiano Caldeira,
ora aí está uma perpectiva de que ainda ninguém tinha falado, doença sexualmente transmissível, portanto se vão ter uma sessão quente, comam uma maçã, mas não lavem os dentes antes, pois a lavagem de dentes provocam pequenas fissuras nas gengivas que, em contacto com o sémen contaminado com alguma doença, pode trazer problemas sérios.
Tudo o resto fica ao gosto de cada um.
beijo

Alien David Sousa disse...

Bem Diabba, li todos os comentários e respostas e sabes que mais: continuo na mesma. Entendi uma ou outra coisa, fizeram sentido MAS não li de ninguém o verdadeiro "porquê"? Talvez por que não exista? Não sei? Gostei do comentário do Luís Sanches...mas não fiquei esclarecida sobre o assunto. Sinceramente, talvez tenha de o descobrir mais perto de casa ;)

Beijinhos diabita cor de labareda

Come e Cala disse...

Esta questão é muito complexa, pois de facto são várias questões... Vamos lá a ver...

Quanto ao fetiche de me vir na boca da minha parceira, não creio de todo que o tenha. Não estou a dizer que não goste, simplesmente não o suficiente para alcançar o estatuto de fetiche, ou sequer o de simples preferência.

De resto, em geral deixo para ela a iniciativa quanto a novas “modalidades” de prática sexual: foi ela que tomou a iniciativa de me fazer o primeiro broche (sem ejaculação), e a iniciativa de muitos outros depois desse antes de eu lhe pedir alguma vez que me chupasse; foi ela que escolheu a ocasião em que pela primeira vez me pude vir na boca dela (e ainda é, pois, quando as coisas correm bem --- e mentiria se dissesse que correm sempre... --- é ela que decide quando e como eu me venho); foi também ela quem decidiu quando pela primeira vez eu lhe iria ao cu. Quanto a eu fazer-lhe um minete, sinceramente não me lembro se da primeira vez foi ela que me pediu que a lambesse, se fui eu que tomei a iniciativa (quase de certeza posterior à primeira vez que ela me chupou).

Assim, é fácil antecipar que foi ela que me pediu (e me pede) para me vir na cara dela, ou na boca (mas com a piça cá fora, à “agulheta de bombeiro”). Lembro-me perfeitamente da primeira vez em que isso aconteceu, até porque está gravado num dos vídeos que fizemos com o meu telemóvel: dizer que ela «pediu» para me vir na cara dela é eufemismo, ela SUPLICOU!, com uma voz e uma expressão de desespero e urgência que só de pensar nela quase me venho enquanto escrevo.

Agora a questão «Qual é a diferença entre virem-se na boca ou noutro lugar qualquer?».
Começarei com uma questão ligeiramente diferente: Qual a diferença entre *meter-lhe* a piça na boca, na cona ou no cu? (Não estou ainda a falar da parte da ejaculação)
Bem, muita. Os músculos no interior da cona e do cu são bem diferentes, e ainda mais na boca. A textura das mucosas é também completamente diferente. Por isso foder um cu ou uma cona é muito diferente entre si, e totalmente diferente de nos fazerem um broche.
Penso que o que disse antes (sobre a penetração) é evidente, mas já no que toca à ejaculação aparentemente não: a pergunta sobre a diferença (e a sugestão de que é uma questão de subjugação da parceira) mostra que quem pergunta pensa que não há diferença fisiológica, mas há. Pelo menos comigo há.
A diferença (em termos de ejaculação) não é grande entre a cona e o cu, mas é 100% no que toca à boca (quando nos estão a mamar a piça e não na modalidade de “agulheta”). Não sei explicar a razão, mas nessa situação a glande fica com uma sensibilidade especial, a tal ponto que o toque da língua e dos lábios é simultaneamente incómodo (uma espécie de cócega) e deliciosamente prazeroso; nunca senti essas cócegas quando me venho na cona ou no cu (ou, pensando bem, talvez uma vez tenha tido uma sensação algo semelhante, quando por decisão dela me vim na cona ou no cu, já não sei bem, mas com uma penetração muito superficial. Talvez resida aí a diferença).

Finalmente, a questão de ela engolir ou não o esperma depois de me vir na boca dela. Nunca lho pedi e será de pensar que em termos do prazer masculino será irrelevante, pois o homem não sente quando a mulher engole ou não. Já se ela *decidir* engolir (sem que eu lhe peça), aí poderá haver alguma influência no meu prazer (em especial se ela me disser e me deixar claro que quis engolir, e que gostou): não é o ela engolir, é o ela *querer* engolir. Isso poderá ser interpretado como um sinal de que está particularmente excitada, “horny”, o que por sua vez me excitará e me fará querer entregar-me mais a ela.

Nuno Amado disse...

Come e cala
Na realidade passa-se tudo na cabeça. A cabeça do homem estimula-se mais com certas coisas, embora não diga que a mulher não possa devido à excitação ter prazer também. Estou a falar do orgasmo na cara, ou no engolir. E sim, é sempre melhor quando é a própria parceira a fazer o pedido!
:)
Quanto a boca, cona e cu... para um homem é tudo diferente, como dizes bem, texturas diferentes! A boca tem a vantagem de ser activa, visto que quem recebe um pénis na boca pode mexer a língua, lábios e ainda fazer sucção!
:D

Come e Cala disse...

«A boca tem a vantagem de ser activa»

Eheheheh... não andas a ir a(s) cu(s) e a(s) cona(s) suficientemente talentosa... :D
Chatice, pá! Os meus pêsames...

Nuno Amado disse...

Come e Cala
Não vás por aí!
LOL
Eu sei que se pode "brincar" com contracções anais e vaginais...
Agora eu posso dizer perante a tua resposta eu digo os meus pêsames para ti, por nunca te fizeram um broche de alta qualidade!
:D